DESTAQUES DO ÚLTIMO DIA DO SPORTS BUSINESS Marketing Esportivo foi o tema central dos painéis desta sexta-feira

Nos painéis de hoje – último dia do Sports Business, no Palácio das Convenções do Anhembi, SP – os palestrantes explanaram sobre detalhes de projetos bem sucedidos no Brasil e no exterior. Veja a seguir, síntese de alguns painéis.

Painel I – O marketing do futebol em tempos de Copa

Palestrantes:

Luis Paulo Rosenberg: vice-presidente de marketing do Corinthians, Mestre e PhD em Economia pela Vanderbilt (USA)

Marina Born-Engels: sócia-diretora da Getty Images Latin America

Mediador: Ricardo Gomes – diretor-presidente da SSTUDIO Marketing & Entretenimento

Em sua apresentação, Rosenberg falou sobre a importância da governança profissional: “todas as áreas do Corinthians têm profissionais especialistas, o que é fundamental para alcançar o sucesso”. Também ressaltou o papel do pós-venda para atingir os resultados desejados. “ O pós-venda é um ponto muito forte do Corinthians. Sempre procuramos entregar mais do que foi vendido… não porque sou bonzinho, mas porque valoriza o meu produto e potencializa vendas futuras”.

SB - 2010 - Luis Paulo Rosenberg, Marina Born Engels e Ricardo Gomes Silva

Com planejamento e soluções inovadoras, a receita do clube mais que triplicou nos últimos três anos. “Na gestão do atual presidente Andrés Sanchez, que assumiu o comando do Corinthians em 2007”, a nossa receita pulou de cerca de 40 milhões de reais/ano para mais de 150 milhões e isso é fruto de muito trabalho e de uma estratégia de marketing bem trabalhada”.

Rosenberg também falou sobre a dificuldade de patrocínio para outras modalidades esportivas “Hoje é mais fácil conseguir R$ 2 milhões para o futebol do que R$ 25.000 para a natação. O Brasil está muito atrasado no patrocínio de outras modalidades esportivas”.

Painel II – O marketing dos Jogos Olímpicos

Palestrantes:

Scott Givens: presidente da Fivecurrentes. Escreveu o primeiro manual técnico de cerimônias do COI (Comitê Olímpico Internacional)
Gabriela Santoro de Castro: coordenadora geral do Ministério do Esporte para a candidatura e organização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016
Felix Alvarez Garmon: vice-presidente sênior da IMG América Latina, Caribe e Mercados Hispânicos
Mediador: Ricardo Gomes

Com vasta experiência na comercialização de direitos de TV, gerenciamento de carreira de atletas e consultoria de marketing esportivo por todo mundo, Felix Alvarez deu uma dica importante para as empresas que de alguma forma estão envolvidas com marketing esportivo. “Nos locais de competições dos Jogos Olímpicos, não é permitida a aplicação de marcas comerciais, então o desafio das empresas é encontrar oportunidades de ativação da marca/produto de seus clientes, de associá-las à competição”.

Scott Givens, dez jogos olímpicos e o 50º aniversário da Disney, disse que o Brasil é um mercado promissor que dará oportunidades a diversas frentes de trabalho, incluindo a grande tarefa de realizar com brilhantismo as cerimônias de abertura, encerramento e premiação. “É importante incorporar a cultura do país nas cerimônias, sem esquecer a criatividade e o ‘jeitinho’ brasileiro”destacou.

SB - 2010 - Scott Givens

Para Gabriela Santoro de Castro, “depois da euforia com a vitória do Rio como sede das Olimpíadas de 2016, agora é o momento de focar na reformulação do projeto olímpico e subir degrau a degrau rumo à realização de um evento desse porte”.

Painel III – A relação entre os grandes eventos esportivos, suas cidades-sedes e seus patrocinadores

Palestrantes:

Warren H. Harper – diretor gerente da Marsh (Atlanta, EUA), responsável pela área de especialidade em riscos e seguros de eventos globais
Robert Mills – gerente de marketing e comunicação da ESPN Brasil
Moderador: Júlio Filgueira – ex-secretário nacional de esporte educacional do Ministério do Esporte

“To govern is to anticipate” (governar é antecipar), começou Warren Harper. É preciso pensar em todas as coisas que podem dar errado em um evento e se antecipar a elas, ou seja, ter um plano de contingência”, pontuou. Por exemplo: o que acontece se o sinal de TV se perder? E se houver problemas com a venda de ingressos pela internet? E se o mau tempo interromper a competição? “Tudo isso, e muito mais, tem que ser pensado para que ações possam ser previstas de forma a evitar problemas”orienta.

Harper continuou: “a imagem é tudo, inclusive para atrair novos eventos, novos negócios, então o país ou cidade-sede tem de tomar muito cuidado para que sua imagem não sofra qualquer arranhão”. Dentre os itens avaliados pela área de risco estão: terrorismo, guerra, greve, desastres naturais, sistema de telecomunicação, possibilidade de cancelamento do evento e economia do país, dentre vários outros.

Painel IV: Leis de Incentivo ao Esporte

Palestrantes:

Nelson Gil de Oliveira – presidente da comissão de análise e aprovação de projetos da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte
Marcelo Rezende – diretor da MRZD Consultoria Esportiva

Após a apresentação da jovem Lei Paulista de Incentivo ao Esporte, Nelson Gil falou das novas possibilidades que se apresentam aos empresários do estado em termos de verbas de renúncia fiscal que podem ser aplicadas em ações de cunho social. Diferentemente da lei federal, que contempla renúncia a parcelas do Imposto de Renda, a Lei Paulista representa renúncia ao ICMS.

Marcelo Rezende abordou a importância da contribuição que essas novas ações governamentais representam para as empresas, algumas das quais sem conhecimento total dos benefícios que podem auferir com essas aplicações. O interesse da plateia motivou longos debates, com perguntas aos entrevistados que esclareceram devidamente as dúvidas existentes e as possibilidades que a legislação permite.

O Sports Business foi uma realização da Federação Paulista de Esportes e Fitness, com patrocínio da Deloitte e apoio do São Paulo Convention Bureau, Parque Anhembi, Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo, Lei de Incentivo ao Esporte e Ministério do Esporte, empresas associadas GMF Promoções, MRZD Consultoria Esportiva e SStudio Marketing.

Categorias: Comunicação, Copa do Mundo, Corinthians, Estádios, Futebol, Getty Images, Infraestrutura, Instalações Esportivas, Investimentos, Luis Paulo Rosemberg, Marketing Esportivo, Marsh, Ministério do Esporte, Patrocinadores, Promoção, Scott Givens, SSTUDIO Marketing & Entretenimento | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: